A intensidade das nossas ações – Professor Makoto Yokoyama

A intensidade das nossas ações – Professor Makoto Yokoyama

A intensidade das nossas ações

 

 

Nessas últimas palestras desenvolvi muito a questão de viver a vida.

Existem pessoas que apenas vivem, mas não vivem a vida ou não sentem a vida.

Mesmo as coisas mais simples da vida, qual a intensidade dos valores, emoções e importância que fazemos as coisas?

Hoje, estava ajudando minha mãe a limpar brócolis e sobraram aquelas folhinhas verdinhas e iriam ser jogadas fora. Então, resolvi fazer um caldo verde com as folhas de brócolis em vez da tradicional couve. Perdão a tradicional culinária portuguesa.

 

 

 

  

Meu pai comprou a calabresa e fiz o caldo e não é que ficou bom?

Quando estávamos tomando o caldo ele disse: Por que você fez o caldo?

Apenas respondi: Porque a mamãe iria jogar as folhas e fiquei com dó, então, resolvi fazer algo gostoso com eles.

 

 

 

  

E olhei aquelas folhinhas fininhas dentro do caldo, apenas cumprindo uma missão que eu proporcionei e fiquei reflexivo.

Não podemos oferecer mais oportunidades as mais diversas coisas da vida para que elas valham algo e sentir a vida, as pessoas, o trabalho, a alegria entre outras infinidades de coisas que passam na nossa vida e nem nos damos conta?

Para isso, vamos apenas sentir a intensidade das nossas ações e simplesmente viver.

 

 

 

 

Professor Makoto Yokoyama

FEALTY – Desenvolvimento de Talentos Humanos

Palestras e Professional & Self Coach

(11) 9450-0870 / 8685-9985

makoto@fealty.com.br

Quando uma incerteza permear sua vida – Professor Makoto Yokoyama

Quando uma incerteza permear sua vida – Professor Makoto Yokoyama

  

 

Quando uma incerteza permear sua vida.

 

Quando uma incerteza permear sua vida, volte sua mente para o que há de mais puro e genuíno no seu ser. Você descobrirá que esse algo é muito mais forte que todas as dificuldades do seu mundo. Enxergará uma saída, mas terá que juntar todas as suas forças e se ver que é insuficiente, peça ajuda aos que te amam. Se vir que não há pessoas que te amam, tenha certeza que suas incertezas começaram deste ponto.

 

 

O problema não é a falta de amizades ou a falta de pessoas que te amam, mas o que fez com que tenha essa falta. Quais as atitudes que fizeram as pessoas se afastarem de você. Tenha certeza que essas atitudes que fizeram então, as incertezas permearem sua vida.

 

Concentre-se novamente em você e não nos fatores externos. Concentre-se no que há de mais puro e genuíno no seu ser e comece a mostrar ao mundo jóia especial que você é.

 

   

  

Makoto Yokoyama

FEALTY – Desenvolvimento de Talentos Humanos

Palestras e Professional & Self Coach

(11) 9450-0870 / 8685-9985

makoto@fealty.com.br

Sentimento de culpa, isso me atrapalha – Professor Makoto Yokoyama

Sentimento de culpa, isso me atrapalha – Professor Makoto Yokoyama

 

Sentimento de culpa, isso me atrapalha

 

Por que será que as pessoas não conseguem avançar na vida e ficam presas aos fatos passados? O que faz esses fatos serem tão avassaladores e travar as atitudes ou simplesmente fazer o ser humano não sentir-se plenamente feliz?

 

Parece que a frase “olho por olho, dente por dente” se faz presente nas reflexões acima. Por que? Porque para que a pessoa se sinta-se livre para avançar na vida ou sentir-se plenamente feliz, ela deve sentir pura, límpida, sem um sentimento de culpa. Então, inconscientemente ela se coloca em situações que geram prejuízos de ordem pessoal, familiar, financeiro, profissional entre outros, apenas pelo fato de querer pagar pelo erro.

 

Pois bem. O que devo fazer? Analise o que você fez. Isso trás um sentimento de culpa. Porém, vamos avançar. Pergunte a si mesmo: o que aprendi com tudo isso? Qual foi o grande ensinamento com esse fato? Tenha certeza que com essas perguntas terá respostas fantásticas. Tenha certeza também que com essa reflexão, o erro deixará de ser erro e se transformará em uma grande experiência. O sentimento de culpa se transformará em um grande combustível para movimentar a sua vida. Sentirá uma grande vontade de se superar.

 

Tudo na vida quando bem direcionado se transforma em experiência, mesmo o mais pesado fardo ou erro cometido. Deu certo comigo. Tenho certeza que dará certo com você também. Pergunta certa, resposta certa.

 

Makoto Yokoyama

FEALTY – Desenvolvimento de Talentos Humanos

Palestras e Professional & Self Coach

(11) 9450-0870

makoto@fealty.com.br

 

 

Complexo de Inferioridade pelo Prof.Makoto Yokoyama

Complexo de Inferioridade pelo Prof.Makoto Yokoyama

O bicho chamado complexo de inferioridade

 

 

 

Como as pessoas sofrem com o complexo de inferioridade. Tudo é maior que ela. Tudo é melhor que ela. Ok, estou exagerando um pouco, mas, que uma pessoa que possui complexo de inferioridade não possui liberdade de viver livre, de ir e voltar com tranqüilidade, isso ela não consegue.

 

Eu vivi isso na minha infância devido ao meu nome, Makoto. Imagine um menino que vivia no sítio e de uma hora a outra vai ao colégio, na época chamada de “pré-primário”. Pois é, quando cheguei à escola, tudo era novo. Mas, o que me marcou foi ter esse nome diferente e ser chamado pelos colegas de “Mocotó”. Lembram-se do Mocotó Imbasa? Pois é, não soube lidar com esse apelido. No primeiro dia do ano letivo seguinte, não queria ir a aula. Eu tinha vergonha desse nome e achava que os novos colegas de classe iriam rir do meu nome. Que dureza.

 

Os anos foram passando e isso foi me perseguindo. Atender o telefone era emocionante para uma criança de 7 a 8 anos, mas quando do outro lado vinha uma pergunta: _ Com quem eu falo? Do meu lado era um silêncio e do outro lado mais uma rajada: _ Quem está falando? Então eu respondia: _ Makoto. E então, a interjeição que ralava meu coração: _ Hein? Eu respondia: _ Makoto! O sujeito perguntava: Markoto? Makamoto? Mokoto? E a lista até que não era muito grande, mas girava em torno desses.

 

Inconscientemente na época não gostava de conhecer novas pessoas, justamente por ter vergonha de meu nome. Mas quando eu comecei a trabalhar na Fundação Mokiti Okada, meu novo chefe, no primeiro dia, aliás, no dia da entrevista, disse que meu nome era bonito. Achei estranho, aliás, achei que ele estava zombando de mim, mas o tom de voz não era de ironia. Ele disse que meu nome a priori significava sinceridade. Mas o verdadeiro significado eu conseguiria após saber qual o ideograma do meu nome o “kanji”, o ideograma origem.

 

Fui atrás dessa informação e descobri que o ideograma escolhido por meus pais e avós significa “Verdade Suprema”. Como fiquei feliz com essa notícia, e senti o amor, carinho deles em escolher um nome tão significativo. Isso ficou maior que a vergonha e transformou-se em admiração.

 

O complexo de inferioridade? Foi-se. Com isso comecei a lidar com meus complexos, a falta de autoconfiança, que às vezes, em uma situação ela se faz presente, mas aprendi, eu sou o que acredito ser. Procure sempre um lado positivo das situações. É um ótimo início do caminho da superação.

 

 

Makoto Yokoyama

FEALTY – Desenvolvimento de Talentos Humanos

Palestras e Professional & Self Coach

(11) 9450-0870

makoto@fealty.com.br